Os nascidos entre 1945 e 1965 têm alta possibilidade de ter hepatite C

1179

Aproximadamente um em cada trinta indivíduos nascidos entre 1945 e 1965 está infectado com a hepatite C.  75% das pessoas infectadas com hepatite C nasceram entre 1945 e 1965.

A hepatite C foi descoberta em 1989 e os testes de detecção em bancos de sangue começaram a ser utilizados em 1992/1993. Pessoas que receberam sangue antes de 1993 podem estar infectadas com a hepatite C.

Nas décadas de 1960 a 1980, anos antes das atuais normas de biossegurança e controle de infecções no ambiente da saúde, a transmissão do vírus da hepatite C, seja por equipamentos médicos contaminados ou pelo contato com produtos sanguíneos contaminados, levou à disseminação da hepatite C.

Embora mesmo nessas décadas distantes possa parecer estranho alguém ter tido contato com suprimentos médicos contaminados, os números mostram o contrário, já que a esterilização e limpeza de instrumentos médicos eram precárias

Apesar de baixa possibilidade o vírus também pode ser transmitido por contato sexual, com incidência muito maior de risco de transmissão naquela época, quando raramente se utilizavam preservativos nas relações sexuais.

Como a maioria dos casos de infecção pela hepatite C não apresenta sintomas, a única maneira de diagnóstico é fazer o teste anti-hcv. O teste mede a presença ou ausência de anticorpos contra a hepatite C na corrente sanguínea. Um resultado negativo ou não reativo significa que não há presença atual de infecção pela hepatite C.

Um resultado positivo ou reativo significa que a pessoa testada foi infectada com hepatite C em algum momento da vida, mas não indica necessariamente uma infecção pelo vírus. Um resultado positivo merece obrigatoriamente a realização de um teste de carga viral para identificar se o vírus está, ou não, ativo na corrente sanguínea. Aqueles que realmente têm uma infecção por hepatite C podem não ter nenhum sintoma, mas o vírus pode afetar o fígado sendo uma das principais causas de cirrose e câncer de fígado.

A infecção pela hepatite C também pode aumentar a incidência de doenças renais, cardíacas e diabetes. Se a infecção for detectada precocemente, através da triagem de testes antes dos sintomas, as terapias antivirais podem levar à cura em questão de dois a três meses em até 95% dos pacientes.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

 

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
Acesso livre: Este artigo é distribuído sob os termos da Licença Internacional Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 4.0 ( 
http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/ ), que permite qualquer uso, distribuição e reprodução não comercial em qualquer meio, desde que você dê o crédito apropriado ao (s) autor (es) original (is) e cite à fonte WWW.HEPATO.COM  e indique se foram feitas alterações.

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO