2020 nas hepatites – Como foi?

86

COMO FOI 2020 PARA O TRATAMENTO DA HEPATITE C?

O ano de 2020 por culpa da pandemia de COVID-19, da qual já alertávamos no mês de março, pode ser considerado um ano perdido no tratamento da hepatite C, se em 2019 foram tratados quase 50.000 pacientes esperávamos que em 2020 esse número iria se repetir, até 50.000 tratamentos foram comprados no início do ano, mas no primeiro semestre somente 10.400 tratamentos foram realizados, 40% da meta esperada de tratamentos.

Os tratamentos dispensados foram, 590 tratamentos com glecaprevir/pibrentasvir; 6.615 tratamentos com ledipasvir/sofosbuvir e 3.196 tratamentos com velpatasvir/sofosbuvir.

Devemos completar em 2020 aproximadamente 20.000 tratamentos.

COMO FOI 2020 PARA O TRATAMENTO DA HEPATITE B?

Por se tratar de um tratamento contínuo não teve oscilações por culpa da pandemia, se mantendo até o mês de outubro a média de 31.000 pacientes em tratamento.

COMO FOI 2020 PARA AS ASSOCIAÇÕES DE PACIENTES?

No início do ano o movimento das hepatites fez ao ministério da saúde cinco reivindicações necessárias para atingir metas focadas que impactem positivamente na vida das pessoas, algumas cumpridas, outras não.

1 – Compra de 50.000 tratamentos para hepatite C. Compra feita.

2 – Socializar com as ONGs de hepatites todas as Notas Técnicas, Portarias e Notícias enviadas as coordenações. Reivindicação não cumprida pelo Departamento.

3 – Publicação mensal da Grade de Distribuição dos medicamentos e testes rápidos, para que seja possível o controle social pela sociedade civil. Cumprida em parte, somente para os medicamentos. Nenhuma informação foi dada sobre os testes rápidos.

4 – Incorporação urgente do TAF – Tenofovir Alafenamide no PCDT da hepatite B. Reivindicação não cumprida pelo Departamento.

5 – Maior integração com as ONGs, fornecendo os contatos atualizados das coordenações estaduais e municipais de hepatites. Reivindicação não cumprida pelo Departamento.

Mas tivemos gratas surpresas, os medicamentos das hepatites se encontravam na relação de medicamentos excepcionais, um sistema burocrático e demorado para o paciente os receber e atualmente foram passados para a lista de medicamentos estratégicos, com distribuição simplificada, tal qual os medicamentos para aids.

E já no final do ano o Departamento emite uma nota técnica para orientar a atuação dos profissionais enfermeiros na estratégia do acesso ao diagnóstico das hepatites B e C. O documento dá respaldo legal aos enfermeiros para a execução de testes rápidos e solicitação de exames complementares; o cuidado da enfermagem na atenção às hepatites virais nas unidades de saúde; o apoio na assistência, no ensino e na pesquisa; a possibilidade desses profissionais identificar pessoas com hepatites B e C ou em risco de infeção. É um passo importante!

Reconhecemos publicamente o trabalho do pessoal do Departamento de hepatites do ministério da saúde o qual apesar da pandemia trabalhou de forma árdua e continua durante o ano todo, merecem nosso aplauso.

CONGRESSOS DE HEPATITES EM 2020

Todos os congressos, seja no Brasil ou no mundo por culpa da pandemia foram virtuais. Participei do Europeu, do Americano, do Hepato Pernambuco e de outros tantos menores, fora mais de uma centena de lives pela internet. Até que o alcance dos congressos foi superior aos esperados, mas nada como o contato pessoal para trocar ideias.

A GRANDE NOTÍCIA DO ANO

A grande notícia foi a outorga do Prêmio Nobel de Medicina aos cientistas que descobriram o vírus da hepatite C, um reconhecimento que é mais que merecido.

Falta agora outorgar o Prêmio Nobel ao Dr. Michael Sofia, descobridor do sofosbuvir (o nome dado ao medicamento pela Gilead é uma homenagem a seu nome) e pelos milhões de infectados com hepatite C que estão conseguindo a cura com o sofosbuvir.

Finalizando, após um ano convivendo com a pandemia de COVID-19 acredito que aprendemos a valorizar a vida, a saúde e a necessidade de convivermos em grupos. Deixo a todos meus desejos de um Ano Novo, com saúde, alegrias, reencontros com amigos e familiares, generosidade, com mais justiça social e com muitas vacinas para eliminar o maldito coronavírus. FELIZ 2021.

Carlos Varaldo
www.hepato.com
hepato@hepato.com

IMPORTANTE: Os artigos se encontram em ordem cronológica. O avanço do conhecimento nas pesquisas pode tornar obsoleta qualquer colocação em poucos meses. Encontrando colocações diversas que possam ser consideradas controversas sempre considerar a informação mais atual, com data de publicação mais recente.

Carlos Varaldo e o Grupo Otimismo declaram não possuir conflitos de interesse com eventuais patrocinadores das diversas atividades.

Aviso legal: As informações deste texto são meramente informativas e não podem ser consideradas nem utilizadas como indicação médica.
Acesso livre: Este artigo é distribuído sob os termos da Licença Internacional Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 4.0 ( 
http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0/ ), que permite qualquer uso, distribuição e reprodução não comercial em qualquer meio, desde que você dê o crédito apropriado ao (s) autor (es) original (is) e cite à fonte WWW.HEPATO.COM  e indique se foram feitas alterações.

O Grupo Otimismo é afiliado da AIGA – ALIANÇA INDEPENDENTE DOS GRUPOS DE APOIO